Quatro mil alunos do ensino fundamental puderam eleger vereadores mirins

16/04/2018 - 14:52

Eles têm entre 12 e 15 anos, cursam o ensino fundamental, mas já querem participar da política, disputando uma vaga na Câmara Mirim. Nesta quinta-feira (12), mais de quatro mil estudantes de dez escolas municipais e do Centro Pedagógico da UFMG puderam votar nos 137 candidatos que concorreram às 45 vagas do projeto. Assim como no processo oficial, as eleições nas escolas contaram com mesários, voto secreto e até urna eletrônica. Na Escola Municipal Presidente João Pessoa, no Bairro Santo Antônio, a votação foi acompanhada pela juíza auxiliar da Corregedoria do TRE, Roberta Rocha Fonseca; pelo presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte, vereador Henrique Braga (PSDB), e por representantes da Secretaria Municipal de Educação, todos parceiros da iniciativa. 

Eleição

Na escola do Bairro Santo Antônio, 210 alunos votaram. Bruna Graziele Souza Vidal, de 13 anos, acreditava que o objetivo de entrar para a política "era só roubar". Hoje, acha importante trabalhar em conjunto para ajudar a resolver, por exemplo, problemas da escola. A colega Amélia Santana Meira Martins da Costa, de 12 anos, quis se candidatar para "dar boas ideias para mudar a escola, a cidade e até o Brasil". Para Cristian Costa Castro, de 12 anos, uma oportunidade para propor melhorias para pessoas com deficiência ou contra a violência. 

Exercício de cidadania

“Com a eleição da Câmara Mirim, que completa este ano sua 11ª edição, estamos ensinando as crianças que ao invés de serem apenas críticos, podem sentir-se úteis ao participarem do processo legislativo”, avaliou o presidente da Câmara Municipal, Henrique Braga. 

O presidente da Comissão de Participação Popular, vereador Edmar Branco (PTdoB), reforçou a relevância da formação para a cidadania nas escolas e na Câmara de BH e de despertar os alunos para a importância do voto, instrumento que pode transformar a vida do cidadão. 

Segundo a juíza auxiliar da Corregedoria do TRE, Roberta Rocha Fonseca, os jovens são, por natureza, seres políticos, seja em uma compra no supermercado ou numa prova na escola. Ela valorizou a função do projeto de conscientizá-los para que sejam bons eleitores e, sobretudo, bons candidatos. “É fundamental que esses estudantes se coloquem como agentes políticos de mudança, sendo capazes de transformar a realidade em casa, no bairro, na escola, na cidade, no Estado e até mesmo no país”, completou.

Para a assessora de programas e projetos educacionais da Secretaria Municipal de Educação, Marina Nogueira, a Câmara Mirim é um projeto de protagonismo juvenil, que estimula a oportunidade da discussão política, possibilitando a participação e uma visão crítica da realidade.  

De acordo com a diretora da Escola Municipal Presidente João Pessoa, Line Luciane Lessa, o projeto leva os estudantes à democracia e à cidadania, quando têm a oportunidade de redigir projetos de lei a partir da própria realidade, buscando melhorias para a escola e para a comunidade.

O gerente da Escola do Legislativo, Marcelo Mendicino, valorizou, por sua vez, a formação do cidadão desde jovem, a conscientização, a participação na política do Município e trazendo os adolescentes para conhecerem o ambiente da Câmara Municipal. O chefe da Seção de Formação de Cidadania da Escola do Legislativo, Milton Alves Ferreira, também salientou a importância da participação democrática na política e a compreensão do contexto escolar.

O resultado das eleições será divulgado tão logo sejam apuradas todas as urnas.

Saiba mais sobre o projeto.

 

Fonte: TRE-MG

Compartilhe
Logar-se para comentar
Nenhum comentário ainda.